Wladimir Martins 01/12/2022

Síndrome do Impostor

A síndrome do impostor é um termo psicológico que caracteriza um estado no qual você duvida de suas realizações e invalida as conquistas alcançadas, alegando ser uma pessoa incompetente ou uma fraude, especialmente, no trabalho. Você sente a todo momento que o que faz não é bom o suficiente e põe à prova todos os seus feitos, independentemente da posição ou do cargo que você ocupa. Todas essas crenças culminam na sensação de que você não passa de um impostor.
O termo foi utilizado pela primeira vez no fim da década de 70, pela Dra. Pauline Clance, para definir um padrão psicológico de incertezas acerca da própria competência. Pessoas com esse comportamento terceirizam o valor e o sucesso de suas conquistas, alegando ser sorte, momento oportuno ou até mesmo ajuda de terceiros, ou seja, aspectos que nada se relacionam com seu esforço pessoal. Elas também temem serem descobertas como fraudes e acreditam que não são capazes de alcançar o nível de excelência que lhes foi atribuído.
Esse comportamento pode se manifestar em todos os profissionais, a cada novo desafio e conquista eles se sentem insatisfeitos com o próprio desempenho e alimentam mais pensamentos de inadequação.
A síndrome do impostor resulta em diversos sintomas, como:
Procrastinação: adiar compromissos e tarefas, deixando para concluí-las no último minuto;
Abandono de tarefas: o medo de não conseguir alcançar o resultado desejado faz com que as tarefas sejam abandonadas;
Comparações: fazer comparações com as conquistas, realizações e carreiras dos outros;
Trabalho excessivo: para alcançar suas próprias expectativas essas pessoas passam mais tempo trabalhando, estando mais suscetíveis ao esgotamento psicológico;
Medo de receber críticas: essas pessoas fogem de situações em que podem ser criticadas ou avaliadas;
Vontade de agradar a todos: a síndrome do impostor faz com que as pessoas acabem se submetendo a situações desfavoráveis em busca da aprovação dos outros;
Autossabotagem: estado e comportamento todas as consequências geradas pela síndrome do impostor.
E então, como tratar e combater a síndrome?
– Evite comparações desnecessárias: você e o outro são pessoas distintas, com personalidades, desejos e comportamentos próprios, busque se inspirar no outro e não compará-lo com o seu desenvolvimento e suas potencialidades. Se concentre no que você tem de melhor;
– Tenha um mentor ou busque ajuda de um especialista: procure ajuda para guiar você e sua jornada profissional, um especialista pode te ajudar a afastar os pensamentos negativos e te fazer enxergar aspectos saudáveis;
– Compartilhe angústias e preocupações: não guarde suas aflições e angústias para si, participar de uma troca de experiências pode tornar tudo mais leve e agradável;
– Aceite a condição de ser imperfeito: o ser humano é imperfeito, e você não está isento disso, o que significa que está propenso a cometer erros e não ser ótimo em tudo que faz, portanto, faça suas tarefas sem grandes expectativas, mas com compromisso, dedicação e foco;
– Celebre suas conquistas: por mais simples e pequenas que elas sejam, celebre e comemore o trabalho feito, aceite elogios e reconhecimentos, pois só assim estará pronto para o próximo desafio.



O quanto esse conteúdo foi útil?

0 / 5. 0

Compartilhar essa matéria


Artigos relacionados

Assessment: entenda esta ferramenta de avaliação comportamental!

Assessment: entenda esta ferramenta de avaliação comportamental!

02/05/2019

Como People Analytics pode ajudar a analisar melhor os colaboradores? Saiba aqui!

Como People Analytics pode ajudar a analisar melhor os colaboradores? Saiba aqui!

05/01/2019

QUAL O TEMPO DO SEU TEMPO?

QUAL O TEMPO DO SEU TEMPO?

05/04/2017