Marketing Opus 27/03/2018

A CASA DE PAPEL, pressupostos comportamentais de uma equipe

Por Wladimir Martins

Em contexto um tanto o quanto conveniente, uma equipe de profissionais do crime organizado, são selecionados para compor um grande roubo a casa da moeda da Espanha. Um grupo controverso com necessidades específicas e que de alguma forma se conectam ao mesmo objetivo.

O Professor, nosso personagem principal, o articulador por trás de uma mente brilhante e sagaz, pensa nos detalhes de forma minuciosa, calculando cada passo para que não haja nenhum tipo de erro, tudo muito planejado e de uma assertividade extrema, está sempre livre de qualquer suspeita, pois é muito discreto na forma de se expor, um perfil de comportamento extremamente analítico, o que se traduz em alguém com perfil de Normas. Professor é CÉTICO e tem a informação detalhada e certeira para proceder. Antes de dar qualquer passo calcula o que, como e quando?

Tóquio, moça ardilosa e envolvente, muito sedutora, não tem medo de correr riscos, tem um perfil de comando e vive assumindo um papel de líder, mulher forte e determinada, extremamente impulsiva, age com a emoção a flor da pele, mas tenta esconder o tempo todo, para não deixar transparecer suas fragilidades, encara tudo e a todos de frente, por carência se entrega facilmente ao prazer, coloca o grupo em exposição por conta de seu envolvimento amoroso. Tem um perfil de risco e não se prende as regras, caracterizando-se por um perfil CONCRETO.

Berlim, é o líder interno do grupo, comanda as operações de acordo com as orientações do professor, trata todos com muita frieza e não exerce e nem esboça sentimentos pelas pessoas, sofre de um narcisismo evidente. Seu ar de superioridade faz com que não seja muito bem aceito pelo grupo, causando certa antipatia dos demais, mas faz questão de demonstrar o seu poder. Usa seu sarcasmo para frequentemente provocar os membros do grupo, joga tudo pelo objetivo, não tem nada a perder, pois sofre de uma doença terminal. Por ser manipulador, não admite ser questionado e contrariando, quando isto ocorre, tem reações extremamente agressivas. Tem um perfil de risco e extroversão no intenso, o que demonstra características de um DOMINANTE.

Nairóbi, o equilíbrio em pessoa, não perde o controle da situação, está sempre ajudando os colegas a entender o problema em questão, ajudando a mediar e a amenizar os momentos de conflitos. Por ser bastante fiel ao professor, luta arduamente para que o plano traçado seja seguido à risca para não comprometer o objetivo. Tem maturidade para exercer um poder de aconselhamento, pois usa seu carisma como ferramenta de apoio. Muito coerente nas suas colocações e usa a sensatez nas suas discussões no grupo, demonstrando assim um perfil de paciência e normas, sendo o perfil LÓGICO do grupo.

Rio, o rapaz boa praça do grupo, apaixonado por Tóquio, coloca o grupo em risco com frequência, porém é dedicado ao mesmo, tem uma relação conturbada com seus pais, mas mantem seus laços afetivos. Apresenta um alto grau de imaturidade, o que faz atuar sem a devida esperteza em relação ao meio que se encontra, ampliando assim o grau de vulnerabilidade do grupo. O tempo todo preocupa-se mais com a amada do que propriamente com o objetivo do grupo, muito amigável, o que o torna uma pessoa muito gentil. Perfil de risco baixo e alta extroversão, lhe conferindo assim características do AMÁVEL.

Denver, é o mais flexível do grupo, não tem muitos objetivos, para tanto segue o curso que o grupo determina, não é muito ligado ao planejamento, segue o mesmo pela osmose do grupo. Rejeitado pela mãe em um quase aborto, tem dificuldades de lidar com esta situação, sendo bastante agressivo em alguns momentos. Como é um estilo não ligado ao planejamento, está sempre se divertindo independente da situação que está vivendo. Muito versátil, pode comprometer o grupo por não seguir de maneira adequada o que foi estabelecido. Tem como suporte seu pai que faz parte do grupo, apresenta um perfil de alta extroversão e baixa norma, estas características são do PROMOTOR.

Moscou, é a razão em pessoa, seu forte senso intuitivo, lhe confere habilidades extras na previsão de determinados problemas do grupo, tem um poder exclusivo de leitura do grupo em relação ao seu modo de funcionamento, assim como das personalidades individuais. Adota uma postura de exagerada proteção com o filho Denver, fazendo com que o mesmo se sinta incapaz. Muito observador, sabe de tudo o que acontece a sua volta, tem reações de muita calma e sempre tem sua ação baseada em uma atitude racional e dentro de uma realidade constatada. Possui o nível de risco, extroversão e paciência situacional e as normas altas, o que lhe confere características do APEGADO ÀS NORMAS.

Helsinki, o gigante da força, mas de uma estrutura totalmente emocional, deixando o coração sempre falar mais alto com um genuíno interesse por cada um do grupo. Segue os objetivos traçados sem muito questionamento, procura sempre apoiar os outros membros da equipe e executa tarefas como ninguém. Muito quieto, fica na maioria das vezes isolado do restante do grupo, muito assertivo, pois não faz rodeios vai direto no alvo quando se trata de alcançar os objetivos. Muito confiável e tem um significante respeito do grupo. Valoriza muito as relações entre as pessoas o que lhe traz um nível de risco baixo, mas um nível de paciência bastante alto, características estas do RECEPTIVO.

Oslo, muito calado e cumpridor de tarefas, está o tempo todo fazendo alguma atividade, bastante introvertido, assim como o irmão Helsinki, tem a força como uma de suas vantagens, não se expõe durante as intrigas do grupo, mas está disposto a tudo para defender o mesmo. Por seu porte físico, imposta uma imagem de agressivo, o que amedronta as pessoas e isto lhe ajuda a adquirir certo respeito. É o cumpridor de tarefas e não questiona nada. Tem o eixo do risco baixo, as normas altas, características do COLABORADOR.

É comum termos profissionais de perfis diversificados em nossas equipes de trabalho e nesta trama não foi diferente, mas como lidar com perfis desta natureza? Como está a sua equipe de trabalho em termos da análise do perfil comportamental?

Mais do que uma série, A CASA DE PAPEL é um misto de perfis comportamentais, que tem como pano de fundo pessoas com muitos problemas pessoais em um ambiente de alta tensão. Em meio ao objetivo principal de roubar a casa da moeda, os perfis de comportamento vivenciam amizades, ódio e amor entre os membros da equipe e os reféns que interagem com os mesmos.

Todos tem uma história de vida muito interessante, com inúmeros desafios e o objetivo de ter muito dinheiro, mas a razão e a emoção são cruciais na interação dos perfis para colocar em alguns momentos o plano por água abaixo.

O professor também não fica atrás no quesito vivenciar um relacionamento, pois também deixa o envolver-se pessoalmente, atrapalhar os planos, apesar de ter como regra da equipe e proibir qualquer tipo de envolvimento amoroso.

Alguns membros são bastante pacíficos, com um senso normativo muito elevado, pois querem que as regras e os acordos sejam mantidos a qualquer custo, mas esquecem de avaliar um item extremamente importante, dentro desta equipe ninguém é igual a ninguém, assim as reações serão muito diversificadas, pois estamos falando de perfis de comportamento completamente diferentes e com uma interação forte entre a razão e a emoção.

Ao assistir esta série, meu senso apurado e altamente perceptivo, me fez reconhecer cada perfil de comportamento, analisar e avaliar cada um dos personagens e entender quais foram os pré-requisitos da escolha do professor, no momento da seleção do grupo.

Com seu movimento altamente articulador, o professor selecionou os melhores perfis de comportamentos necessários, para cada uma das atividades a serem exercidas no papel de cada membro do grupo, os quais deveriam interagir e produzir movimentos extraordinários na obtenção do resultado final. Porém estímulos externos e não controlados pelo professor, ou seja, dos reféns que interagem constantemente com o grupo, foram elementos que provocaram por diversas vezes a discordância coletiva.

Como produzir resultados extraordinários em grupos de perfis diversificados?

Assim como na trama, temos que ter os perfis certos nas posições certas e se houver inserções externas é preciso ter a equipe muito coesa em seus objetivos, para que a mesma tenha uma blindagem coletiva e que nenhum ser estranho possa quebrá-la.

Trabalhar com equipes de perfis diversificados é excelente para produção de resultados eficientes e eficazes, a grande dificuldade está no líder, se o mesmo não estiver preparado para assumir o seu papel. Entender que cada um é diferente do outro e trata-los desta mesma maneira e muito salutar para o ambiente e para o resultado.

O professor sabe sobre cada um dos membros da sua equipe e busca externamente lidar com estas individualidades, mesmo que em algum momento exista a interferência dos reféns e um certo desequilíbrio do grupo, ele se mantem muito atento a tudo o que ocorre com a dinâmica grupal e está pronto para fazer uma intervenção em caso de necessidades.

Você conhece o seu perfil comportamental?

Sabe qual o perfil comportamental da sua equipe? Já imaginou o quão mais fácil seria compreender cada integrante dela?

 

Assista a esta série e veja no detalhe como estas equipes de perfis diversificados atuam e como por meio de um perfil de comportamento bem definido, você pode obter os melhores resultados e chegar a uma equipe de alta performance!

Hoje a Opus pode fazer mais por você. Temos a ferramenta certa para te levar ao entendimento da sua equipe de forma muito mais eficiente e eficaz. Clique no link para um teste Grátis.

http://bonusopushuman.opusfasys.pdaprofile.com



O quanto esse conteúdo foi útil?

5 / 5. 2

Compartilhar essa matéria


Artigos relacionados

Guia completo para você definir suas metas pessoais para o ano de 2020

Guia completo para você definir suas metas pessoais para o ano de 2020

29/10/2019

Guia completo sobre clima organizacional

Guia completo sobre clima organizacional

15/05/2020

Como tornar eficaz um modelo de trabalho híbrido?

Como tornar eficaz um modelo de trabalho híbrido?

03/05/2022