Wladimir Martins 17/03/2021

Síndrome de Burnout : O que significa e quais são os estágios e sintomas?

A síndrome de Burnout, ou como é mais comumente conhecida “síndrome do esgotamento profissional” é uma condição psíquica ou transtorno que se origina através da exaustão mental diretamente relacionada ao trabalho exagerado de um indivíduo. Essa condição se dá geralmente por jornadas ininterruptas de trabalho regado a tensão, estresse e constante ansiedade e pressão. Alguns cargos e profissões possuem obviamente maior propensão a essa condição, mas devemos sempre lembrar que nenhum profissional está isento a sofrer com a síndrome.

Geralmente é diagnosticada por um profissional da saúde, como um psiquiatra ou psicólogo, e seus principais e mais graves efeitos são a depressão profunda, o total esgotamento intelectual e o desaparecimento da energia.

Os primeiros estágios alarmantes acontecem quando existe a compulsão pelo trabalho e a obsessão pelo acerto e pela perfeição. Quando se tenta o tempo todo provar o seu próprio valor. Derivado deste estágio, surge a impossibilidade de desviar os pensamentos do trabalho, transformando a prática em um vício, pois condicionamos o cérebro a crer que precisamos daquela atividade excessiva para a satisfação pessoal.

A seguir surgem as mudanças comportamentais como condutas antissociais, introvertidas e reclusas. O que resulta inevitavelmente em um afastamento de todos e de si próprio, levando a uma queda na autoestima e em seguida a uma depressão profunda. Perfis mais prováveis de desenvolver a síndrome são geralmente pessoas perfeccionistas, exigentes, muito autocríticas e demasiadamente empolgadas com novos desafios. A síndrome inicia-se com absurda dedicação e energia por parte do colaborador em realizar determinadas tarefas e aos poucos vai se convertendo em agudo desânimo e falta de prazer em realizar as mesmas tarefas de antes.

Os principais sintomas incluem insônia, cansaço mental e físico, dificuldade de concentração e foco, irritabilidade, perda do apetite, lapsos de memória, apatia, enxaquecas, constante sentimento de derrota, isolamento voluntário e tristeza. Lembrando sempre que buscar um profissional da saúde deve ser o seu primeiro passo caso note alguma similaridade com as informações citadas aqui. Somente um profissional saberá identificar se realmente se trata de esgotamento profissional ou se pode ser outra condição.

O tratamento da síndrome se dá na maioria das vezes por acompanhamento terapêutico, distanciamento das antigas rotinas nocivas e em casos mais graves, através de medicação.

É possível evitar a síndrome facilmente tomando alguns cuidados e precauções no seu dia a dia de trabalho. É extremamente importante desligar a mente e os pensamentos do trabalho após o final da jornada. Mais importante ainda é conseguir relaxar e descansar após chegar em casa. Tirar esse tempo para o auto cuidado e lazer farão com que você se sinta renovado e novamente disposto e enérgico a enfrentar a carga física e emocional do dia seguinte. Portanto não esqueça de sempre tirar um tempo do seu dia para deixar o trabalho de lado e aproveitar para cuidar de si próprio.

Os momentos de pausa despretensiosa durante a jornada de trabalho também são de grande ajuda. Uma pausa para almoçar com calma ou tomar um cafezinho com os amigos apenas tem a acrescentar no bem-estar de um profissional, principalmente aqueles com carga horária mais atribulada. Encorajamos a intenção e o desejo de procurar sempre realizar um excelente trabalho e ser um profissional memorável, mas não podemos jamais colocar a nossa saúde mental de lado nessa jornada.



O quanto esse conteúdo foi útil?

4 / 5. 1

Compartilhar essa matéria


Artigos relacionados

Onboarding e Offboarding: Você sabe o que são?

Onboarding e Offboarding: Você sabe o que são?

18/04/2022

Entenda como as crenças limitantes afetam a sua vida e aprenda a acabar com elas!

Entenda como as crenças limitantes afetam a sua vida e aprenda a acabar com elas!

18/01/2019

O que é empatia e como desenvolvê-la para melhorar o convívio social?

O que é empatia e como desenvolvê-la para melhorar o convívio social?

04/08/2020